• Dia Mundial da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho
%PM, %09 %689 %2020 %16:%Jul.

The Body Shop e a Cruz Vermelha juntam-se para combater a Violência Doméstica

  • Em Portugal, no período que abrange a Pandemia covid-19 foram registados 15 919 atendimentos, fazendo agora, e desde a última quinzena de maio, uma média de 4 500 atendimentos, cada vez mais presenciais à medida que o desconfinamento avança, e que são quase o dobro dos 2 500 atendimentos em média nas quinzenas de abril, que já eram um número muito significativo. Os pedidos de ajuda cresceram sobretudo nas vias telefónicas e digitais. A linha de apoio da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), o email e o número de SMS criado especificamente para o contexto da Pandemia e que o Governo pretende manter receberam 727 contactos entre 19 de março e 15 de junho, um aumento de 180% face ao primeiro trimestre de 2019. Dos quase 16 mil atendimentos na rede nacional feitos durante o período da Pandemia, 1 167 foram a pessoas com mais de 66 anos. A violência doméstica sobre idosos é ainda uma realidade muito escondida, muitas vezes porque as vítimas sentem que têm que proteger os agressores. Neste momento e só na Cruz Vermelha Portuguesa estão ativas 3 465 medidas de teleassistência com botão de SOS. 
  • Cada uma das empresas do grupo Natura & Co (Avon, Aesop e Natura) vai  participar ativamente no apoio a esta campanha, utilizando o seu alcance e influência global para criar conscencialização sobre este problema.
  • A Cruz Vermelha e a The Body Shop  lançam a campanha ESTAR ISOLADA ≠ ESTAR SOZINHA com o objetivo de sensibilizar a sociedade para a  mudança

Grande parte do mundo está ou esteve isolado devido à Pandemia. Este isolamento teve um imenso impacto em todas as pessoas, particularmente nas mulheres que sofrem de violência doméstica. Muitas delas foram obrigadas a ficar em casa com o seu agressor durante o confinamente, correndo risco de sofrer mais abusos e violência. Esta é uma das consequências do COVID-19 e é também uma das menos faladas: a violência doméstica é um problema social que aumentou durante a Pandemia.

No último ano, 243 milhões de mulheres e meninas (com idades entre os 15 e os 49 anos) sofreram de violência sexual ou física por parte do seu companheiro no mundo inteiro.

Em Portugal, a linha de apoio da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), o e-mail e o número de SMS criado especificamente para o contexto da Pandemia, e que o Governo pretende manter, receberam 727 contactos entre 19 de março e 15 de junho, um aumento de 180% face ao primeiro trimestre de 2019. 

Ainda que estejamos a deixar para trás o confinamento, as consequências de saúde, sociais e laborais provocadas pela Pandemia impactaram especialmente estas mulheres. Depois do isolamento pela COVID-19 os agressores podem ter uma maior preceção de controlo, o que acarreta um alto risco para as mulheres que agora querem sair e recuperar a sua autonomia. Neste momento pode também ser mais difícil sair de uma relação violenta, devido ao aumento de abusos, a vítima tem mais medo e também pode estar numa situação de dependência financeira do seu agressor. 

A violência doméstica é uma grave violação dos direitos humanos. Não podemos ficar indiferentes. É momento de atuar.

 

A The Body Shop associou-se à Cruz Vermelha com o objetivo de sensibilizar, direcionando a sociedade para a ação e mudança cultural.

A campanha ESTAR ISOLADA ≠ ESTAR SOZINHA terá 3 fases:

  1. É o momento de dizer BASTA: Nesta fase o objetivo consiste em consciencializar as pessoas sobre o problema, fornecer informação que ajude tanto pessoas que estão em risco como pessoas que suspeitem de casos de violência doméstica.
  1. É o momento de PERGUNTAR: As empresas do grupo Natura & Co (Avon, Aesop e Natura) também estão a fazer uma campanha sobre violência doméstica. Escreveram em conjunto uma carta global para os governos, governantes, legisladores e presidentes de todo o mundo para apoiar a ONU a dar prioridade às mulheres que sofrem de violência doméstica neste momento.
  2. É o momento de DAR: Nas lojas The Body Shop vão ser realizadas ações de doação destinadas a apoiar centros de acolhimento para mulheres que a Cruz Vermelha tem em Portugal.

 

David Boynton, Director Executivo da The Body Shop disse: “O mundo inteiro está a atravessar um momento incrivelmente difícil. Tragicamente, como resultado houve um aumento dramático de casos de violência doméstica. Ainda que as políticas governamentais sejam pensadas para proteger as pessoas em risco de violência doméstica esta nova situação fez com que muitas delas se encontrem em situações de risco, isoladas com os seus agressores. A The Body Shop tem um alcance e influencia mundial que queremos usar para ajudar e proteger estas mulheres. Através da nossa campanha iremos mobilizar mais de 20.000 funcionários e vamos incentivar mais de 30 milhões de clientes a apoiar esta causa. Em conjunto, como parte da Natura & Co, o alcance será superior a 200 milhões de clientes em mais de 70 países, temos capacidade de fazer a diferença.”

A responsável pela área da Violência de Género da Cruz Vermelha Portuguesa reforça a necessidade de, enquanto sociedade,  estarmos alerta para esta temática e assumirmos que contrariar as  estatísticas dos últimos anos implica  uma co-responsabilidade de todos, poderes públicos, entidades privadas, de cada um em particular,  perante o problema. “Esta parceria revela-se de grande importância para a resposta da Cruz Vermelha Portuguesa na área da Violência Doméstica. Capacitar estas mulheres que, muito cumumente se fazem acompanhar de filhos menores, e empoderá-las para um projeto de vida futuro sem violência é aquilo que nos faz acreditar diariamente que na Cruz Vermelha mudamos vidas. Com a The Body Shop vai ser mais fácil fazer a diferença na vida destas mulheres."

Para saber mais sobre a campanha: https://bit.ly/estar-isolada-nao-e-estar-sozinha

 

Imagem cee75

Powered by jms multisite for joomla